" O Pibid é uma iniciativa para o aperfeiçoamento e a valorização da formação de professores para a educação básica. Desde 2010 o PIBID Biologia, da Universidade Estadual de Londrina, oferece a oportunidade aos acadêmicos de Biologia, para aprimorar a formação docente e contribuir para elevação do padrão de qualidade da educação básica. "

sábado, 13 de setembro de 2014

II SEA: simpósio de ensino e aprendizagem: atualidades, prospectivas e desafios

Evento realizado no dia 13/09/2014 no Hotel Sumatra e na UTFPR( Universidade Tecnológica Federal do Paraná). O simpósio foi dividido nestes dois locais, onde as palestras, no período matutino era realizado no Hotel Sumatra e as apresentações de trabalhos, orais ou painéis, no período vespertino, realizado no campus da UTFPR. O PIBID/BIOLOGIA participou do evento, com seus bolsistas, fazendo apresentações de painéis.





quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Contextualização da biodiversidade no ensino médio

Atividade realizada no colégio Attilio Codato, tem o objetivo de mostrar a variedade de organismos e suas adaptações com o meio. A oficina é ministrada quinzenalmente pelos bolsistas, Guilherme Fonseca Reis, Geovane Alves de Souza e Ana Maria Moraes no período de contraturno.


Imagen 1: Bolsista Guilherme mostrando a metodologia da atividade


Imagem 2: Alunos participantes da oficina


Imagem 3: Bolsitas e professora supervisora

 
Imagem 4: Bolsistas Geovane e Guilherme ministrando a atividade

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Experimento publicado na revista científica "Nature Cell Biology" pode ajudar a abrir caminhos para alternativas ao transplante de órgãos.


              Liderada pela professora Clare Blackburn, do centro da medicina regenerativa, na Universidade de Edimburgo,  a pesquisa  que usava células geneticamente reprogramadas obteve resultados inéditos na regeneração e formação do zero de órgãos inviáveis.
              Já existem pacientes com vasos sanguíneos, traqueias e bexigas criados em laboratório. Esses órgãos artificiais são criados a partir de células em uma estrutura temporária que é então implantada. No caso do experimento da professora Clare Blackbum, foram implantadas células modificadas, que iniciaram a formação do órgão.
              A pesquisa se concentrou no Timo  - órgão linfático, responsável pela imunidade através da produção de linfócitos (em especial os do tipo T) e maturação de outros órgãos linfáticos como baço e linfonodos. Ao longo da vida do indivíduo o órgão involui naturalmente, diminuindo de tamanho e sendo substituído por tecido adiposo no idosos, uma das consequências disto é diminuição da imunidade no indivíduo, o que aumenta a vulnerabilidade do indivíduo a organismos causadores de doenças. 
              Para conduzir a pesquisa, os cientistas colheram células de um embrião de camundongo. Essas células foram geneticamente "reprogramadas" e começaram a se transformar em um tipo de célula presente no timo. Os cientistas, então, misturaram essas células com outras e as inseriram dentro de um camundongo. Uma vez dentro da cobaia, começaram a se converter em elementos característicos do timo, esse grupo de células se desenvolveu e formou um timo totalmente funcional.

Células do timo.

              Os pesquisadores afirmaram que foi "tremendamente emocionante" quando a equipe percebeu o que havia descoberto.
"Ficamos todos surpresos ao conseguir gerar um órgão 100% funcional começando com células reprogramadas de uma maneira muito simples. Foi um avanço muito importante. Nossa descoberta também é bastante estimulante em termos de pesquisa relacionada à medicina regenerativa."
              Paolo de Coppi, um dos pioneiros nas terapias regenerativas no Great Ormond Street Hospital, afirmou: "Pesquisas como essas demonstram que a engenharia de órgãos pode, no futuro, substituir os transplantes. A criação de órgãos relativamente simples já foi adotada em um pequeno grupo de pacientes e é possível que, dentro dos próximos cinco anos, órgãos mais complexos possam ser criados usando células especializadas derivadas de células-tronco de uma forma semelhante à descrita na pesquisa".

Vídeo em Inglês da pesquisadora comentado a descoberta
(legendas automáticas do youtube)


Fontes:
http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2014/08/cientistas-criam-1o-orgao-artificial-dentro-de-animal.html
http://gizmodo.uol.com.br/orgao-dentro-animal/
http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/planeta-ciencia/noticia/2014/08/cientistas-desenvolvem-do-zero-o-primeiro-orgao-funcional-em-ratos-4582976.html
http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_08_25/Cientistas-britanicos-criam-orgao-do-sistema-imunologico-atraves-da-reprograma-o-do-DNA-4538/

O trabalho pode ser acessado na sua versão original através do link:
http://www.nature.com/ncb/journal/vaop/ncurrent/pdf/ncb3023.pdf